Tarot de Marselha: significado dos símbolos contidos nas cartas do baralho

Inicial » Tarot de Marselha: significado dos símbolos contidos nas cartas do baralho

Aprenda a simbologia das cartas do Tarot de Marselha e desenvolva o seu jogo

Nós já falamos aqui no Blog sobre o significado das cartas do tarot, os arcanos maiores. Hoje,  vamos observar os elementos (símbolos) nas figuras dos arcanos, pois são importantes na leitura do Tarot de Marselha.

Considerando que as cartas  são muito ricas em símbolos,  entender o que cada elemento representa ajudam muito na interpretação do jogo como um todo.

Carta 1 –  O Mago

O número 1 representa um príncípio, marca um começo.

Influência: Mercúrio confere movimento, rapidez, flexibilidade e criatividade.

O chapéu do Mago com formato de 8 deitado, símbolo do Infinito, oferece uma gama de possibilidades para explorar tudo que se pode fazer para ir sempre além do imaginado.

O Mago é o primeiro arcano, o começo, o princípio, é dinâmico e  nos convida a  iniciar uma trajetória com ele, que tem os quatro elementos na mesa para aproveitar tudo que surgir e  fazer acontecer.

Tem um bastão (elemento Fogo) na mão esquerda, símbolo de comando para guiar, dirigir, comandar e  transformar; na mão direita tem uma moeda de ouro (elemento Terra), simbolo das aquisições, da materialidade, a taça (elemento Água), correspondendo à transparência, clarividência, a feminilidade ou fecundidade, simbolizando o sentimento e emotividade.

O punhal (elemento Ar), como uma espada destinada a cortar, abrindo possibilidade de libertação. Sua posição de pé, pernas afastadas, demonstra  seu dinamismo e equilibrio, para agir com criatividade que o chapeu em forma de 8 deitado lhe confere.

Portanto, além do chapeu e do bastão, na mesa do Mago tem os outros  elementos  que ele usará, como cálice, punhal,  moedas de ouro e  dados (esses poderão ser utizados para os caminhos da chance e do acaso).

Ele nos convida a usar nossas ferramentas quando  estamos prontos para buscar mais conhecimentos,  autoconhecimento, visando conhecer o outro e descobrir no outro um pouco de nós também.

Carta 2 – A Papisa / Sacerdotisa

Influência: Saturno, dando ênfase à  estrutura e à paciência. Retarda um pouco o ritmo das atividades  e provoca obstáculos.

Abre o caminho da meditação, da sabedoria e da fé. O número 2 é o símbolo de oposição e reflexão. A unidade busca seu complemento ou sua oposição.

Véus e rosto impassível mostra calma e serenidade, segredos, mistérios, coisas ocultas. A tiara de ouro de duas coroas lhe dá a  soberania e o poder nos dois planos, material e espiritual. As incrustrações de pedras preciosas na tiara são para iluminar as trevas, visando o alcance da perfeição.

O livro nas mãos é o símbolo do universo que, fechado, guarda e oculta sua matéria e, aberto, oferece seu conteúdo e segredos ao iníciado para que seja conduzido à sabedoria divina. Ela não precisa ler esse livro, pois possui o conhecimento interior das riquezas e seus mistérios. Atrás dela, os  véus dissimulam tudo que está além das aparências.

Como guardiã da iniciação,  permitirá ao iniciado digno levantar os véus para que lhe seja passado o conhecimento, quando sua hora chegar.

A Papisa anuncia a reserva, a intuição, a serenidade, a espera, a espiritualidade.

Carta 3 –  A Imperatriz

Influência: Venus, planeta do amor, da sorte.

O número 3 é da comunicação e domina a dualidade, levando a uma abertura maior, mas Mercúrio traz a habilidade e inteligência.

A coroa lhe dá poder mental e dignidade. O cetro na mão esquerda lhe dá poder de comando e ordem, mas não ultrapassa seus limites. O cetro terminha numa cruz, que simboliza a espiritualidade. O brasão expressa a inteligência e representa a tradição.

A águia, pássaro celeste e solar,  alia o poder e a força. Sua cadeira de espaldares altos são como asas, simbolizando voos para o infinito.

A Imperatriz anuncia  inteligência,  eficácia,  intuição e  fertilidade.

Carta 4 – O Imperador

Influência: Jupter, planeta da expansão e da sorte, traz prosperidade, realização, com a autoridade e a segurança  levando ao sucesso.

Simbolizado pelo quadrado ou pela cruz, o número 4 encerra toda criação, assegurando estabilidade e dominação.

O Imperador  é energia e autoridade. Seu capacete lhe dá proteção, cobrindo-lhe toda nuca, ponto sensível e vulnerável.

Traz na mão direita o cetro da soberania, em cima do cetro tem o globo terrestre, insigínea  universal e a cruz, a espiritualidade. O cetro lhe concede o poder de dominação sobre o mundo.

O colar de ouro lhe concede  força e união ao mesmo tempo. As pernas em destaque indica a realização pela ação. O pé direito levemente levantado indica tomada de decisão iminente. A águia  com asas abertas, prestes a voar para realizar  um objetivo.

Observando que o Imperador e Imperatriz têm os mesmos símbolos, o cetro, o globo, a cruz, a águia. Olhando para ela, ele aguarda sua  mensagem. Ela é ação, ele é realização.

O Imperador anuncia a realização, a estabilidade, a energia, o domínio, o poder.

Carta 5 –  O Sumo Sacerdote / Papa / Hierofante

Influência: Saturno traz a bondade, doçura, harmonia,  mas também a necessidade de uma vida interior, de lógica e razão, pela influência conjugada de Venus e Saturno.

O número 5  traz o equilíbrio, o conhecimento, é mediador.

A barba branca, longos anos de experiência, confirma competência, sabedoria e dignidade. A tiara de ouro reflete a suprema autoridade do Papa, construída em três planos, confere poder sobre os três mundos, o mental, o anímico e o físico. As incrustações de pedras preciosas, como as da Papisa, iluminam as trevas para conduzir à perfeição.

Segura o cetro com as mãos enluvadas, símbolo de pureza ritual,  segura o cetro de cruz tripla, que remete a alta espiritualidade agindo sobre o espírito,  a alma e o corpo. Os fiéis ajoelhados estão aguardando sua mensagem, simbolizando o dualismo das forças presentes nos seres.

O Papa anuncia bondade, sabedoria e espiritualidade.

Carta 6  – Os Enamorados

Influência: Vênus confere sentimento puro, beleza e doçura.

O número 6, dito como número do pecado ou fatalidade, representa o conflito entre o bem e o mal. A influência de Venus traz o sentimento puro, devotamento e simpatia.

Incertezas e decisões a tomar, o arcano mostra sempre a difícil prova da  escolha, com duas mulheres, à esquerda mais serena, sábia, e à direita, a outra  o pressiona, com as mãos nos seus ombros. O amor real, a certeza e o prazer, a tentação,  para fazer suas  escolhas.

Cupido, acima da sua cabeça, prestes a lançar a flecha, ação e movimento, levando o iniciado ao caminho escolhido. Dos raios azuis, vermelhos e amarelos, agindo em todos os planos, emanam a irradiação do amor.

As asas azuis do anjo mostram o desejo de voar em direção à espirtualidade. O livre arbítrio  para decidir entre  facilidade e  esforço, hora do aprendizado.

O Enamorado anuncia a provação, a dúvida, as escolhas, o livre-arbítrio.

Carta 7 – Carro

Influência: Marte, grande energia e potencialidade.

Número 7, sagrado e de perfeição, algarismo dos Deuses, marca uma transformação positiva.

O guerreiro é confiante e parte para conquistas. Veste uma armadura para proteção dos perigos, com as  ombreiras mostrando  os conhecimentos, a experiência e a lucidez diante da vida. A coroa de ouro do poder e do querer, na mão direita o cetro da dominação, para  lutar e  vencer.

Ele conduz o carro  numa viagem que não cessa, mostrada no movimento das  rodas ou  ciclos da vida, girando sem parar. As colunas mostram o potencial positivo e negativo, para usar seu livre arbítrio. Os dois cavalos vão unindo forças opostas na condução do carro, para  o guerreiro tomar as rédeas e triunfar.

O Carro anuncia o triunfo, a potência,  a luta, a perseverança.

Carta 8 –  A Justiça

Influência: Vênus e Saturno, trazendo a verdade e a justiça, a lógica, o raciocínio e as estruturas.

O oito é um número cósmico, sem fim nem começo.

É representada por traços femininos. A balança, a espada (venda nos olhos em alguns tarôs) mostra a imparcialidade.

A justiça divina traz na cabeça o barrete judiciário, superposta por uma pequena coroa de ouro, soberania, indicando os rigores da lei. Como o imperador, ela tem o colar trançado da força e da bravura. Na mão direita, a  espada concede total poder de punir  os maus e proteger os bons.

Na mão esquerda, a balança de ouro mostra que o incorruptivel é a base da justica, pesando coisas materiais, atos e intenções. O trono de espaldares maciços, mostrando a estabilidade e a disciplina. É implacável e severa no julgamento e na sentença.

A Justiça anuncia a equidade, severidade,  imparcialidade e ordem.

Carta 9 – O Eremita

Influência: Saturno, andamento lento, mas regular, favorecendo buscas interiores, as estruturas e trabalho em profundidade.

O número 9 tem valor ritual, é o  último da série, trazendo um fim e um recomeço.

O caminhar seguro mostra a experiência adquirida na vida de forma geral. As vestes de monge e o manto determinam uma simplicidade severa, discrição e inflexível ao que não é natural. A lanterna o ilumina na busca da sabedoria e da espiritualidade, vivendo todas as etapas com discrição.

O cajado lhe concede a comunicação com as forças da terra, podendo nele se apoiar, caso precise.  É solitário, vivendo  à procura  de si mesmo e da verdade, pois  ainda não sabe tudo de  que precisa e ou  ignora.

O Eremita anuncia  sabedoria, prudência, solidão  e paciência.

Carta  10 – A Roda do Destino

Influência: Urano e Jupter trazem, por um lado, a evolução numa outra dimensão, e, por outro lado, dinamismo e expansão.

O número 10  é o símblo da criação universal, expressando uma volta à unidade e também uma renovação e uma totalidade.

A roda corresponde aos ciclos de vida, aos recomeços, às exigências sempre mais sábias. A manivela é o símbolo do poder divino e faz a roda de seis raios girar e refletir harmonia.

De um lado o gênio do bem em direção ao céu e à luz, com inteligência, permitindo construção interior e exterior e  oportunidades construtivas. Do outro lado, o gênio do mal mergulha  na terra e nas trevas. Representa a queda, no mundo da matéria e da destruição por negligência.

A esfinge, com uma coroa de ouro, se mostra soberana e domina do alto da roda, com poder de decisão  e equilíbrio,  pois detém as chaves do conhecimento.

É a  roda do destino girando e transformando para que tudo aconteça,  conforme a lei da evolução,  anunciando o destino, o acaso, o êxito, as transformações, a  boa energia.

Carta 11 – A Força

Influência: Marte e Jupter assinalam por um lado,  a coragem e a energia e por outro lado, a autoridade e o poder.

A mulher e o leão mostram a oposição de duas forças que se harmonizam para unificação e o poder. O chapéu em forma de 8 deitado, como o do Mago, com uma pequena coroa de ouro em cima do chapéu confirma o sentido do poder espiritual.

Só o Mago e a Força têm o chapéu em forma de oito (infinito). Os braços e mãos em evidência, exercendo seu poder sobre o leão, que embora soberano, se submete placidamente ao magnetismo da mulher, mostrando que podemos vencer situações difíceis, podemos transformar, com energia psiquica, fisica, intelectual e espiritual, que é o conceito da carta, ser o próprio Poder para poder exercê-lo em qualquer situação.

A Força anuncia a sabedoria, o equilíbrio, a prudência, a paciência a força interior.

Carta 12 – O Enforcado

Influência: Netuno, que acentua a falta de energia, levando à depressão. É um planeta que revela um certo  misticismo.

O número 12 simboliza o universo, tanto na sua complexidade, quanto no seu desdobramento (espaço-tempo).

O rapaz se pendura pelo pé, por dificuldades de continuar a lutar, uma perna presa a um galho, simbolizando o sacrifício, e outra solta dobrada e livre, para qualquer movimento. Esta pronta para agir e libertar o rapaz. Os braços atados escondem as mãos, que estão imóveis.

Os dois troncos sustentam o galho do sacrifício, confirmando renúncia ao comando. Nos dois montículos verdes brotam a erva do feiticeiro ou a mandrágora, o que mostra  que o sacrifício é uma semente rica e sempre traz seus frutos.

Não podemos nos iludir sobre a sua inatividade, pois se amarrou como prudência para se libertar em algum momento.

Carta 13- A Morte

Influência: Saturno, que assinala a duração do tempo, a lentidão e a fatalidade.

O número 13 corresponde a um fechamento, levando a  um recomeço, a uma reconstrução.

Apesar de ser considerado como temeroso, ele  indica uma transformação saudável,  muitas vezes, um livramento.

O esqueleto se livra da aparência superficial, sem alicerce e  conteúdo, revelando a verdade interior e a passagem de um estado ao outro. A foice é o instrumento cortando tudo que tem vida, para  que transformações aconteçam, uma nova vida surja.

A coluna vertebral é mostrada como uma espiga de milho. A lâmina vermelha não corta as cabeças, pés e mãos  que emergem da terra, para que haja ação, progressão e reconstrução.

O ceifador aconselha a aceitaro o  passado para reconstrução, pois nada cessa na vida, tudo segue em transformação.

A Morte anuncia a tristeza,  separações, os fechamentos, as renovações.

Carta 14 – A Temperança

Influência: Urano e Saturno levam a um crescimento e a  uma  grande mudança, devido a sólidas estruturas.

O número 14 expressa uma transformação bem sucedida e equilíbrio na renovação.

A jovem  mulher serena com asas transmite a purificação e  a transfere para o infinito. A intelectualidade e espiritualidade são demonstradas pelas asas. A água passada de um cântaro ao outro, vermeno e azul (energia para buscar um ideal e alcançar a paz do corpo e do espírito) é substância essencial à vida, à fecundidade e à pureza.

A flor em forma de estrela na testa, símbolo do amor, da harmonia, da esperança e da luz.

A Temperança  anuncia  moderação,  harmonia, energia, abrindo caminho para universalidade.

Carta 15 – O Diabo

Influência: Plutão assinala  o poderio do Diabo e Jupiter mostra  a falta de comedimento .

O número 15 (1+5=6) impõe sua força,  para se escolher entre a luz e as trevas ( 1+5=6  – escolha, livre arbítrio). É sempre inquietante, perigoso,  alimentado pelo orgulho.

A figura é andrógena, com asas de morcego, chapeu com chifres, garras e patas para obter o que quer possuir. Uma espada apontada para o alto, captando e dominando forças vitais para seu uso. Os escravos acorrentados, nús e submisso, evidenciando  poder e domínio.

O Diabo impõe  um mundo de escravidão material, sujeito a paixões e tentações.  Anuncia  intriga,  orgulho, desejo e traições .

Carta 16 – A Casa de Deus – A Torre

Influência: Plutão mostra o aspecto violento e confirma um poder misterioso e perigoso.

O número 16 (2×8), constrói ou destrói, de um lado a justiça e o rigor, do outro lado, o castigo e  a desordem. A Casa de Deus representa o atraso espirutal do homem, que será desfeito pelo desmoronamento da Torre, com a coroa caindo sobre o perigo que se corre quando se quer ultrapassar limites, sem considerar os perigos.

Dois personagem sofrem o castigo da ira divina, para do chão recomeçar. As bolas coloridas que caem são energias desperdiçadas por ignorância e orgulho. As três janelas azuis são passagens para o inconsciente e a espiritualidade.

A Torre anuncia rupturas, falências,  cirurgias, acidentes e destruições.

Carta 17 – A Estrela

Influência:  Venus confere  doçura,  simpatia e  harmonia.

17  (1+7=8) é um número de esperança , de fé. O equilibrio e a estabilidade estão em seu aspecto cósmico.

A nudez da jovem simboliza pureza e verdade. os cabelos  longos e azuis mostram a fé e amor universal. A água despejada na terra  é para fertilização e no lago é  para regeneração.

As oito estrelas são fontes de luz trazendo esperança, harmonia e amor. A estrela de venus ou estrela guia maior no meio das outras sete. Os arbustos indicam a fertilidade e o pássaro, a elevação espirtual.

A Estrela anuncia o encanto, a doçura e a confiança.

18 – A Lua

Influência: A lua libera a receptividade,  sonhos  e  ilusões. É o símbolo da criação da imaginação, da sensibilidade, da intuição e da passividade.

18 é o número da insatisfação,  tendendo  para tristeza e decepção.

A lua ilumina um pântano onde  se refugia um camarão. Dois cães ladram para  a Lua e  duas torres, refúgio da imaginação, fazem parte da paisagem.  Gotículas coloridas são aspiradas pela Lua,  que suga as energias terrestres, não devolvendo nada em troca.

A Lua é o símbolo do feminino e da fecundidade, do mundo oculto, do que está além do paupável. Ela anuncia a intuição, a escuridão, a angústia.

19 – O Sol

Influência: O Sol ilumina, mostra explendor, honra e glória, gera força vital, após as trevas da noite.

o numero 19 tem grande  simbolismo, a evolução, o caminho livre, autonomia e criatividade, influência fecunda nos planos material e espiritual, com  raios azuis, amarelo e vermelho  aguçam o intelectual e a intuição.

Diferente da Lua, que suga tudo para si, o Sol libera uma chuva de energia sobre a Terra e seus habitantes.  O Sol ilumina dois jovens e atrás deles, um  pequeno muro de tijolo como proteção. Luz do conhecimento, ele abre as portas para um novo despertar.

O Sol anuncia   amor,  luz,  alegria,  sucesso.

20 – O Julgamento

Influência: A conjugação Mercúrio e Urano acelera o movimento, as mudanças bruscas,  podendo  gerar transtornos imprevistos, mas também levar à renovação, ao progresso, à transformação interior.

O número 20 sinaliza renovação e ressurreição.

Ações são aceleradas e realidades são dadas pelo anjo, que vela pelo mundo , trocando um trompete de ouro em sinal de advertência, para o despertar da consciência. Na mão esquerda uma cruz, poder que abrange os quatro cantos do mundo.

Atrás da núvem azul, anunciando a espiritualidade e a fecundidade, raios de sol com suas  influências intuitivas. Mãos postas, um homem e uma mulher saem da terra nús,  diante de uma criança, imagem de pureza, saindo do túmulo. É o despertar para uma nova vida, uma consciência liberta da escuridão.

O Julgamento sinaliza novos momentos,  mudanças rápidas,  progresso, renovação, renascimento.

21 – O Mundo

Influência: A influência do  Sol traz realizações,  glória, sucesso.

O 21 é o número da perfeição (3×7)  e  simboliza a sabedoria e virtude.

O arcano 21 é pleno e sinaliza a  finalização de um ciclo, o término de uma evolução, trazendo  triunfo, realizações,  honras.

Uma mulher jovem caminha no interior de uma guirlanda de louros. Nos quatro cantos estão  quatro elementos simbolizados por um touro, elemento TERRA, energia criadora, um leão, elemento FOGO, soberania,  uma  águia, elemento ÁGUA, conexão entre o  céu e  a terra,   e um anjo,  elemento AR, símbolo do espírito liberto.

No centro da coroa ela está protegida, captando as energias positivas com a varinha na mão esquerda.

O Mundo sinaliza vitórias, sucesso, realizações   até que  novos ciclos aconteçam.

0 – O Louco

Influência: A influência de Urano perturba as ideias, podendo provocar  excentridade e revolta. A impulsividade, originalidade e atos nada convencionais fazem parte desse arcano Zero, que se despe para se redescobrir melhor.

Número Zero é o  Nada, sem valor, antes do aparecimento do número UM.

Um homem de barba arrasta um bastão e caminha perseguido por um cachorro que o morde e lhe rasga a calça No ombro direito um trouxa de roupa pendurada num outro bastão.  É um sem rumo, sem comando, que se arrasta  pela vida, tal como um inconsciente sem identidade. As roupas são parecidas com os chamados “bobo da corte”.

Na sacola carrega seus tesouros materiais, intelectuais e espirituais, tudo que lhe permitirá um novo encontro com ele mesmo em algum momento da caminhada em busca de algo que ainda não sabe bem definir, pois é um caminho desconhecido, já que se permite a loucura como base para seguir em frente. Em algum momento se juntará  ao Mago, arcano 1,  para voltar a fazer acontecer, tomar pé da própria vida, se redescobrindo na figura do Mago.

O Louco sinaliza momentos de incerteza, irreflexão, impulsividade na  busca de algo novo, diferente de tudo que já viveu,  para  preencher vazios e recomeçar.

Taróloga e Professora Ceiça Monteiro: 

Sou professora por formação, cursei faculdade de Letras – português e inglês. Trabalhei como secretária executiva bilíngue por mais de 30 anos. Dei aulas de inglês em um colégio estadual do Rio de Janeiro, onde ingressei através de concurso público. Há mais de 15 anos me dedico ao estudo do Tarot de Marselha.

Atualmente, dou aulas particulares de tarot ou para grupos. Atendo individualmente pessoas interessadas no jogo e nas previsões do tarot sobre amor, família, trabalho finanças e mais.

Investimento:

Jogo e Previsões: R$ 220,00 à vista
Curso de Tarot: R$ 450,00 à vista

Como agendar uma consulta? 

Entrar em contato com Ceiça Monteiro pelo número: (21) 99572-4445
ligação ou mensagem no WhatsApp

Local: Copacabana, Zona Sul, Rio de Janeiro

Saiba mais em: https://www.tarotrj.com/

Link Relacionado:

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog do site Tarot RJ, criado pela taróloga Ceiça Monteiro para compartilhar conhecimentos com os amantes do Tarot de Marselha.

Rolar para cima